fbpx
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages
familias

Chaveiro por proximidade: saiba quando usar e os benefícios

Diante dos dados e casos de inseguranças que acontecem com bastante frequência no país, optar por equipamentos que favorecem a proteção de pessoas e ambientes é fundamental, e o chaveiro de proximidade é um deles.

Para quem conhece este tipo de dispositivo, sabe que o chaveiro por proximidade auxilia na agilidade para a entrada e saída de moradores, funcionários e frequentadores de um espaço que precisa de controle do fluxo de pessoas e segurança.

Acompanhe neste post quais são as principais situações em que o equipamento deve ser utilizado, e quais são os seus principais benefícios.

O que é chaveiro por proximidade?

Conhecido como um modelo de fechadura eletrônica – e também chamado por “tag” no mercado de segurança -, o chaveiro por proximidade é um dispositivo que, ao ser aproximado do equipamento instalado na porta, aciona a abertura da mesma.

Além de dar agilidade para a entrada e saída de pessoas em ambientes que necessitam de controle, alguns modelos de chaveiro por proximidade contam com um sistema de alarme que é acionado em situações de tentativa de arrombamento e travam de forma automática a porta.

Como funciona o chaveiro por proximidade?

Cada morador ou pessoa que tem acesso ao local protegido pelo equipamento deve ter seu chaveiro, que funciona como uma “chave”. A liberação do acesso é feita pela aproximação do chaveiro ao dispositivo instalado na porta por meio de radiofrequência (RFID).

O dispositivo é muito prático e ágil. Porém, é fundamental que sempre esteja com quem precisa acessar o local, da mesma forma que uma chave convencional.

Quais são os principais benefícios do chaveiro por proximidade?

Além das questões de praticidade, o chaveiro por proximidade também tem outros benefícios. Acompanhe a lista das principais vantagens de contar com este tipo de equipamento, tanto para residências quanto para empresas:

  • instalação facilitada;
  • agilidade no fluxo de pessoas;
  • manuseio descomplicado do equipamento;
  • consumo de energia baixo;
  • baixo investimento.

Em quais situações o chaveiro por proximidade deve ser utilizado?

Por ser um chaveiro, o equipamento é ideal para locais nos quais tenham movimentações das mesmas pessoas, como em condomínios residenciais, por exemplo. Diferentemente de hotéis, — que utilizam cartão magnético para acionar portas e elevadores —, o formato de chaveiro é pensado para quem precisa ter o acesso sempre a mão e de forma facilitada. É comum que o chaveiro seja incluído em molhos de chaves importantes e utilizadas com frequência, como a do apartamento, do carro ou da empresa.

E você, já conhecia o chaveiro por proximidade? Dentre as opções de segurança, é uma solução que conta com benefícios interessantes para quem busca por praticidade e proteção.

Aproveite e conheça o modelo de chaveiro desenvolvido pela JFL e tenha a segurança da sua casa ou empresa nas suas mãos.

 

Conheça as principais vantagens do repetidor de sinal para dispositivos da linha Duo

As inovações do mercado de segurança eletrônica são essenciais para que a proteção de casas e empresas seja potencializada, e o repetidor de sinal para dispositivos da linha Duo é um equipamento importante para isso.

Se você mora em uma casa ampla ou se preocupa em manter a estrutura de empresas protegida contra invasores, saiba que conhecer os benefícios deste tipo de aparelho pode otimizar o sistema de segurança nestes locais.

Que tal ficar bem informado(a) para melhorar o monitoramento de ambientes que contam com dispositivos sem fio Duo? Leia aqui no post as principais vantagens do repetidor de sinal para dispositivos da linha Duo e descubra como ele colabora com a sua segurança.

Mas, afinal de contas, o que é repetidor de sinal?

O repetidor de sinal é um equipamento que é instalado em sistemas de alarmes sem fio com o objetivo de repetir o sinal e ampliar a cobertura de proteção dos ambientes.

O aparelho é ideal para lugares que apresentam obstáculos capazes de interferir na comunicação do sistema de segurança e ocasionar problemas.

E quais são as principais vantagens do repetidor de sinal?

Para quem conta com sistemas de alarme para preservar ambientes e locais protegidos, é fundamental saber que o dispositivo potencializa o monitoramento, pois aumenta o alcance, amplia as possibilidades e, consequentemente, otimiza a segurança.

Acompanhe abaixo outras informações sobre essas características.

Mais alcance

Um dos principais benefícios do repetidor é promovido pelos seus componentes: o aparelho conta com uma antena robusta e de alta sensibilidade que envia e recebe o sinal dos dispositivos sem fio com muita eficiência. Assim, é possível instalar equipamentos sem fio Duo em locais ainda mais distantes da central de alarme, ampliando o alcance do sistema de segurança.

Menos obstáculos

Alguns locais apresentam obstáculos que ocasionam interferências no sistema de segurança, e são verdadeiros desafios para técnicos, moradores e responsáveis por manter locais protegidos. Prédios de empresas e casas mais amplas podem apresentar problemas como esse se o sistema não for bem pensado e se não contar com os dispositivos adequados.

É para resolver questões como essas que o repetidor de sinal deve ser considerado: em locais nos quais o sinal sofre intervenções possibilita ter um sistema de segurança sem fio com utilização do equipamento.

Mais segurança

Ainda, com o aumento do alcance dos dispositivos sem fio e com menos interferência no envio e recebimento de sinais, o repetidor de sinal potencializa a segurança do local. É uma excelente alternativa para aumentar a proteção de um determinado ambiente que conta com sensores de alarmes sem fio.

Vale lembrar que as alternativas para intensificar o monitoramento são sempre válidas. Além de promover a segurança, é possível aproveitar a estrutura já existente de sensores de alarmes.

E você, achou interessante as vantagens do repetidor de sinal para dispositivos da linha Duo? Percebeu como ele é um importante aliado para quem utiliza sistema de segurança sem fio Duo?

Aproveite que você conheceu mais sobre as vantagens do dispositivo, suas características e fique por dentro das opções de produtos disponíveis no mercado, como o repetidor de sensor MRP1, da JFL.

4 dicas para conquistar clientes pelo seu valor (e não pelo preço)

A insegurança aumenta a demanda por instalações de equipamentos de proteção residencial e empresarial. Com isso, o número de profissionais que atuam no mercado como instaladores também cresce, e torna maior o desafio de conquistar clientes.

Você sabe como mostrar o valor do seu trabalho num meio tão competitivo como é o da segurança eletrônica?

Leia neste post 4 dicas que vão te ajudar a fechar novos negócios com foco na qualidade do seu serviço, e não no preço cobrado. Confira!

Faça capacitações

Ser um profissional bem informado, treinado e com os conhecimentos técnicos em dia é um diferencial muito importante para obter novos clientes.

Quem trabalha com sistemas de segurança e alarmes deve sempre estar atento aos cursos, vídeos e materiais disponibilizados por fabricantes para conhecer produtos e a tecnologia utilizada. Participar de feiras e palestras do setor também é fundamental.

Vale lembrar que o consumidor fica mais tranquilo quando está diante de um profissional que entende, de fato, sobre os sistema e as soluções que serão instaladas. Isso agrega valor e aumenta a qualidade do trabalho.

Foque na qualidade

Quem trabalha com excelência soma valor nas suas entregas. Realizar instalações de forma planejada, organizada e com bons dispositivos é essencial para quem tem interesse em ter destacar no mercado pela sua qualidade.

Construa propostas comerciais claras, objetivas e com todas as informações que o consumidor precisa. Durante a realização do serviço, entregue o local limpo e evite a exposição de fios. Dê atenção ao pós-venda com manutenções, treinamentos e tutoriais.

E nunca esqueça: ter em mente a qualidade como foco de trabalho é uma das formas para prosperar e conquistar clientes.

Priorize o atendimento

Para o consumidor final, a instalação de equipamentos de segurança é um serviço pontual. E, como todo o serviço, ganha atenção quando o atendimento é bem feito.

Portanto, dê prioridade ao atendimento. Abra canais de contato com os consumidores, flexibilize horários de visita e seja ágil nas trocas de mensagens ou envio de orçamentos.

Como algumas dicas para diferenciar o atendimento, você pode oferecer o serviço de manutenção periódica, disponibilidade para treinar usuários e tirar dúvidas via celular.

Utilize bons equipamentos

De nada adianta você saber tudo sobre sistemas de segurança, ter um excelente atendimento, um serviço de qualidade, porém, não utilizar bons equipamentos. Indicar ao cliente produtos eficientes é um dever do profissional que está preocupado em mostrar o valor do seu trabalho.

Além disso, novos serviços para proteção de casas e empresas são lançados com frequência. São desenvolvidos e comercializados dispositivos cada vez mais tecnológicos a todo o momento.

Acompanhar as tendências do mercado auxilia para que o profissional ofereça soluções inovadoras e bons sistemas ao consumidor final. E é mais uma dica para mostrar o valor do seu serviço.

E você, percebeu que o preço não foi citado para agregar valor ao seu trabalho? Quando um instalador entrega conhecimento, qualidade, atendimento diferenciado e bons equipamentos, o orçamento não é fator decisivo para conquistar clientes.

Aproveite para aumentar suas capacitações e faça os treinamentos da JFL Alarmes. Consulte o calendário e aprenda na prática a trabalhar com os melhores produtos.

Saiba como funcionam as zonas para Central de Alarme

Para escolher o sistema de segurança mais adequado para sua casa é fundamental ter um pouco de conhecimento sobre os equipamentos utilizados e as suas principais funções. Por exemplo, você sabe o que são as zonas para central de alarme? E a importância delas para manter locais protegidos?
Se você tem interesse em descobrir as respostas dessas questões e entender mais sobre os dispositivos de segurança eletrônica, siga com a leitura deste post.

O que são zonas para central de alarme?

Pesquisar informações e referências é o primeiro passo para entender o funcionamento dos sistemas de segurança. E as funcionalidades deles também, como é o caso das zonas em uma central de alarme.
A zona é o setor a ser protegido pelo sensor. Por sua vez podem ser interligados um ou mais sensores em uma unica zona. As centrais de alarme, dispõem de um número variado de zonas – conforme a capacidade do equipamento.

Como funcionam as zonas para centrais de alarme?

As zonas são áreas protegidas pelos sensores. Uma sala que conta com 2 sensores de presença para que sejam acionados em caso de invasão, pode contar como uma zona.
Elas são identificadas por números na central de alarme.
Além disso, as zonas facilitam a administração do sistema de alarmes, pois permitem que seja habilitado ou desabilitado o disparo de determinadas áreas do mesmo local.
Ainda, a divisão por áreas colabora para o monitoramento, sendo possível identificar no display da central de alarme em qual zona aconteceu o disparo.

Dica extra: quanto mais zonas, melhor para a sua segurança!

Vale destacar que a definição das zonas facilita o monitoramento, reforça a segurança e flexibiliza o acionamento do sistema de alarme.
Desta forma, é possível perceber que quanto maior o número de zonas, de áreas divididas e monitoradas, mais seguro e eficiente será o sistema de segurança escolhido para manter sua casa protegida.
Por isso, a escolha da central de alarme que será instalada na sua residência ou empresa é essencial para que o local permaneça seguro, e para que comporte todas as zonas que você tenha interesse em proteger. E, atenção aos modelos de centrais de alarmes! Cada um deles tem uma determinada capacidade de zonas, sendo elas com ou sem fio.

Falando em central de alarmes, existem outras características que você deve verificar e considerar para escolher o modelo mais apropriado. Veja algumas delas.

  • Módulo GPRS integrado: existem modelos que fazem comunicação com o monitoramento ou usuario pelo sinal de celular;
  • Controle por aplicativo: pelo smartphone ou tablet, alguns equipamentos oferecem acessar a central via app.
  • particionamento real: com apenas uma central é possível operar separadamente zonas ou setores independentes;
  • Dispositivos sem fio: alguns tipos de central são compatíveis com dispositivos sem fio, como sensores de abertura;
  • Níveis de permissão: dependendo da tecnologia, é possível cadastrar usuários com níveis de permissão personalizados;
  • Programação prática: possibilidade de programar via cabo ou remotamente.

Agora que você já sabe o que são as zonas para central de alarmes e a importância delas para o sistema de segurança, aproveite para conhecer produtos que atendam as necessidades de segurança da sua casa.

Entre em contato com a JFL e conheça a central Active 20 GPRS. O equipamento é monitorável com módulo GPRS integrado, além de outras funções que vão facilitar o seu controle e proteção no dia a dia.

Sensor PET: proteção para casa e para seu animal de estimação

O crescimento pela procura de alarmes de segurança para a casa ou comércio é gradativo. Infelizmente, a instalação de dispositivos de segurança está se tornando fundamental para nos sentirmos mais protegidos.

Se você tem animal de estimação e acha impossível ter equipamentos de segurança que não detectem a presença dele, conheça os sensores com tecnologia PET.

Dentre os sistemas de alarmes que o mercado oferece, saiba que o sensor PET é um dos preferidos. Ficou curioso(a) para conhecer mais sobre ele? Acompanhe.

Como funciona o sensor PET?

Os sensores infravermelhos são importantes elementos para detectar invasão e intrusões em um determinado local. Eles não são sensores de movimento, e sim, de variação de temperatura.

Os equipamentos são chamados de infravermelhos passivos porque somente captam variações de irradiação de luz infravermelha (que representa variações de temperatura) no ambiente.

Todos os objetos emitem certa quantia de luz infravermelha. A emissão é diferente de humanos e de animais. Portanto, o sensor tem capacidade de distinguir a diferença de irradiação de luz infravermelha deles.

Uma mudança repentina no ambiente, como a entrada de uma pessoa — por exemplo —, altera a quantidade de luz e causa o disparo do alarme.

Qual a diferença entre os sensores infravermelhos PET x comum?

A grande diferença do sensor PET para o comum está na capacidade de distinguir as variações de temperatura entre humanos e animais de estimação.

Os sensores PET, basicamente, estão separados em duas categorias: para animais rasteiros até 20kg e até 30kg. Dentro dessas classificações, ainda é possível escolher sensores que trabalham com tecnologia com ou sem fio.

Quais são os principais benefícios do sensor PET?

Agora que você conhece como funciona o sensor PET e as características do modelo, veja também os principais benefícios do dispositivo.

  • Maior precisão para a segurança da sua casa;
  • cuidado com o seu animal de estimação;
  • utilização de tecnologias eficientes;
  • prevenção de disparos indesejados.

Que tal deixar sua casa mais segura e seu animalzinho mais protegido enquanto você está fora? Conheça o DSE – 830, o sensor PET digital com cobertura de 15m e ângulo de 90º exclusivo para áreas externas.

Entre em contato com a equipe da JFL, tire suas dúvidas e garanta a proteção dos seus maiores bens.

Descubra as vantagens do particionamento na central de alarmes

Alguns lugares precisam que cada um dos seus ambiente tenha sistema de segurança independentes, e o particionamento real é uma das soluções para quem quer operar diferentes dispositivos numa única central.

Galerias, complexos comerciais e casas com espaços separados — como salão de festas  —  são alguns desses lugares que costumam utilizar a funcionalidade.

Acompanhe neste post as principais vantagens do particionamento na central de alarmes e sugestão de produto que oferece o recurso.

O que é particionamento real?

Pense num espaço comercial com várias lojas. Cada uma delas tem um sistema de segurança. Com o particionamento é possível que a central de alarmes seja uma única para todos os estabelecimentos.

A função permite que a central seja dividida, mantendo os dispositivos e funções independentes das lojas.

Outros lugares, como residências com ambientes separados, também podem utilizar a funcionalidade para manter os sensores de alarmes ativados enquanto no restante da casa estão desativados.

Ainda, clubes recreativos e sociais que apresentam estruturas separadas, com diferentes sistemas de alarme, também podem ativar o particionamento na central.

Quais são as principais vantagens do particionamento na central de alarmes?

Monitoramento

O particionamento facilita o monitoramento da segurança, pois unifica num dispositivo a transmissão de dados com os sensores, de forma independente.

Centrais de alarmes que disponibilizam funções como acesso para monitoramento via celular potencializam o benefício.

Autonomia

Ao mesmo tempo que facilita o monitoramento, a função mantém a autonomia dos ambientes, no que se refere a segurança. Por mais que a central de alarmes seja a mesma, cada sistema pode ser acionado separadamente dos demais e conforme a necessidade.

Manutenção

Um ponto bem importante, principalmente para os profissionais responsáveis pela segurança, é a questão da manutenção. O particionamento facilita o suporte técnico, visto que a central de alarmes é um único dispositivo para um determinado número de ambientes.

Ainda, torna a estrutura de instalação reduzida, o que também colabora para a limpeza dos equipamentos e evita o excesso de aparelhos e acidentes com o cabeamento.

Quais são os produtos que oferecem particionamento?

Para que a função esteja disponível, procure por centrais de alarme que ofereçam particionamento real. Preste atenção na capacidade de zonas e usuários do equipamento.

Uma dica essencial é pesquisar quais os benefícios do produto além do particionamento, pois muitos deles fazem a diferença para manter a segurança e para otimizar o monitoramento.

Um exemplo é a central Active 32 DUO. O dispositivo oferece muitas outras vantagens, como a supervisão real, sistema sem fio e tecnologia duo.

Vale destacar ainda o Active Mobile, aplicativo para controlar a central de alarme pelo smartphone ou tablet. O app é mais um avanço tecnológico que agrega valor ao produto, além de estar alinhado às necessidades e utilização de quem consome.

Que tal saber o status da central, inibir zonas ou visualizá-las em planta baixa de qualquer lugar e em qualquer momento? Pelo aplicativo, você consegue!

E você, achou interessante contar com o particionamento na central de alarmes para facilitar o monitoramento de ambientes seguros?

Não esqueça que para isso é importante ter bons equipamentos. Conheça um pouco mais sobre o Active 32 DUO, tire suas dúvidas com a equipe da JFL e faça a melhor escolha.

Confira 5 dicas valiosas para montar sistemas de segurança

Para montar um sistema de monitoramento eletrônico em residências ou empresas é fundamental ter um planejamento.

Antes de instalar é importante organizar todas as etapas para que a escolha dos dispositivos e fornecedores seja certeira e eficiente.

Se você quer montar um sistema de segurança não deixe de ler as dicas a seguir. São 5 passos que farão a diferença na hora da instalação. Confira.

Fazer diagnóstico

O primeiro passo para montar um sistema de segurança é fazer um diagnóstico.

Para isso, é preciso considerar o tamanho do ambiente, a iluminação, a localização e o comportamento das pessoas que frequentam o local.

Contar com profissionais especializados para fazer esse levantamento é a melhor opção. Assim, as informações serão coletadas e direcionadas para as soluções mais adequadas.

Mapear os riscos

Não basta considerar apenas os locais de acesso para montar o monitoramento eletrônico.

Para que o sistema não seja exposto a falhas é preciso identificar riscos.

Desta forma, todos os ambientes do local que será monitorado devem ser verificados e avaliados.

Janelas pequenas e sem grades, muros baixos e espaços abertos são alguns exemplos de situações que podem expor a segurança de casas, prédios e condomínios se não forem mapeadas.

Planejar a operação

Após o diagnóstico e o mapeamento de riscos, a etapa de planejamento da operação é a próxima a ser executada.

Solicitar orçamentos, consultar fornecedores e verificar a certificação de qualidade dos equipamentos fazem parte dessa fase.

Para a contratação de serviços é ideal alinhar com empresas especializadas a manutenção dos dispositivos, a capacidade técnica para instalação e a integração com ferramentas e softwares.

Treinar a equipe

Os profissionais que trabalham em portarias e na segurança de empresas e condomínios precisam passar por um treinamento sobre técnicas que colaboram para manter o local seguro.

Sempre é válido ressaltar que montar o sistema de segurança é importante, mas o comportamento e as atitudes de quem monitora e circula no ambiente é primordial para a proteção.

Não esquecer dos organizadores

A instalação dos equipamentos de segurança demanda a compra de acessórios, cabeamentos e recursos para organizar o sistema de proteção.

Identificar os cabos e conectores é importante para manter a ordem e para facilitar a manutenção dos equipamentos.

Evitar a exposição de fios também é uma prática que previne a desconexão dos equipamentos e acidentes.

Buscar orientação profissional

Para que todas as dicas e etapas apresentadas até aqui sejam feitas de forma adequada e bem-sucedidas, a orientação de profissionais qualificados no mercado é a base de tudo, e é a dica extra deste post.

Seja para a escolha dos equipamentos, para o treinamento da equipe ou para a manutenção do sistema de segurança, a orientação profissional é essencial.

Por isso, encontrar fornecedores com boas referências, experientes e dispostos a solucionar problemas para manter ambientes protegidos é um diferencial.

Se você já conhece a JFL, aproveite e confira também as premiações conquistadas pela empresa especializada em segurança eletrônica.

Descubra as funções do videoporteiro e potencialize sua segurança

A segurança eletrônica é um setor que desenvolve tecnologias para aumentar a proteção de pessoas e ambientes constantemente.

Com isso, além de novos produtos, recursos são adicionados aos equipamentos existentes no mercado de sistemas de segurança.

Para ter o uso otimizado de equipamentos para a proteção residencial ou empresarial é preciso conhecer as novidades e funções disponíveis.

Neste post, você vai descobrir recursos pouco conhecidos ou utilizados do videoporteiro. Acompanhe e fique sabendo como tirar melhor proveito de cada um deles.

Conexão de mais câmeras

Muitas pessoas não sabem que existem modelos de videoporteiros que permitem conectar mais de uma câmera no sistema.

A conexão de câmeras auxiliares permite a captação de imagens em diferentes pontos do local e reforça a proteção do ambiente.

Para a vigilância com mais de uma câmera, o monitor do videoporteiro exibe as imagens captadas de forma alternada e sequencial, facilitando assim o monitoramento.

Além de potencializar a segurança, contar com um número maior de câmeras evita que — caso a lente da câmera principal tenha problemas — o ambiente fique desassistido.

Registro automático

Alguns videoporteiros possuem a função de registrar fotos e gravar vídeos automaticamente.

Esse recurso é indicado para situações quando moradores não estão em casa ou momentos em que empresas estão em turnos sem expediente ou fechadas.

O registro é programado para ser feito no instante que a campainha é pressionada. Assim que o visitante aciona o botão, a câmera registra por meio de foto ou vídeo quem está tentando contato.

É importante ressaltar que o recurso deve ser habilitado previamente para ser acionado. A funcionalidade deve ser programada no equipamento para que seja feito o registro no momento certo.

Pontos de extensão

Assim como os equipamentos de interfone, o videoporteiro também possibilita a instalação de pontos de extensão.

No caso de ser necessário que o monitoramento em portarias de empresas, condomínios e entrada de residências seja feito de diferentes ambientes é possível instalar dispositivos que replicam as imagens.

Existem aparelhos de extensão que contam com funcionalidades como o armazenamento de fotos e vídeos independentes da unidade principal, assim como viva voz.

Intercom

Falando em extensão, você sabia que é possível fazer chamadas internas com o equipamento de videoporteiro?

Quando a instalação do sistema de segurança conta com outros pontos, a comunicação entre eles facilita o monitoramento do ambiente.

Além disso, a função Intercom colabora com a interação entre as pessoas responsáveis pelo controle de acesso em um determinado local, seja em casa ou em empresas.

Não perturbe

A função “não perturbe” é indicada para situações em que o morador não quer ser incomodado.

Seja para descansar, evitar visitas ou qualquer tipo de interferência, a modalidade — quando habilitada — inibe o som da campainha.

Assim, quando a tecla da campainha é acionada, não emite som no dispositivo instalado internamente e nem no que está na área externa.

A função pode ser acionada a qualquer momento. Quando desativada, a campainha é acionada normalmente.

Se você tem videoporteiro na sua casa ou empresa, não deixe de aproveitar as funções disponibilizadas nos equipamentos.

Alguns consumidores desconhecem as facilidades dos sistemas eletrônicos e deixam de potencializar a segurança de ambientes protegidos. Ficou interessado em conhecer mais funções dos dispositivos de segurança?

Então, não deixe ler o artigo “você está usando todos os recursos dos seus produtos tecnológicos?”, e saiba mais.