fbpx
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages
familias

O que são e para que servem os sensores infravermelhos passivos num sistema de alarme?

Existem atualmente no mercado vários componentes de segurança que são primordiais na estruturação de um sistema de segurança eficaz.

O sensor infravermelho passivo é utilizado para detecção de intrusão através da verificação da variação de temperatura do ambiente. Ele oferece a precisa detecção dentro de um ambiente definido fazendo acionar o alarme.

Estes sensores podem ser configurados conforme a necessidade de alcance e sensibilidade, permitindo que a cobertura seja adaptada para variados ambientes como áreas fechadas, áreas semiabertas e áreas externas.

 

O que são sensores infravermelhos passivos?

Um sensor de infravermelho passivo é formado por um receptor que reage à emissão de raios infravermelhos. Quando ocorre um movimento no ambiente há uma variação de luz infravermelha que permite que o sensor perceba essa movimentação.

Este tipo de sensor infravermelho é chamado de passivo, pois ele capta o calor do corpo detectado no ambiente sem emitir luz infravermelha.

Funciona tanto em ambientes externos quanto em internos, sendo que para cada aplicação existe um tipo mais indicado de equipamento.

 

CARACTERÍSTICAS

Os sensores infravermelhos têm uma lente denominada Fresnel, que caracteriza-se por ser branca leitosa e multifacetada, com um led interno que acende quando capta a intrusão no ambiente.

Os sensores passivos podem ser com ou sem fio. Os com fio, ficam ligados diretamente a central de alarme e os sensores sem fio funcionam com baterias como fonte de alimentação e transmite dados através de ondas de rádio.

Alguns modelos de sensores oferecem a detecção de microondas, sendo capazes de detectar de maneira mais precisa qualquer movimento no ambiente. Também podem possuir a função anti-mascaramento, que identifica bloqueios acidentais ou intencionais que por alguma razão, possam enganar o sistema de detecção do sensor.

Alguns sensores possuem também a função PET, evitando detecção da presença de pequenos animais e disparos desnecessários do alarme.

Estes sensores também podem ser adaptados quanto ao nível de alcance, podendo ser ajustado para vários locais, oferecendo cobertura em diferentes ambientes. 

 

COBERTURA DE SENSORES COM FIO

Os sensores infravermelhos passivos com fio e sem fio podem ser ajustados de acordo com o ambiente que será instalado.

  • A distância de detecção é de até 15 metros;
  • Ângulo de detecção é de até 115°;
  • Indicado para ambientes fechados, semiabertos e totalmente abertos;

 

CUIDADOS NA INSTALAÇÃO DOS SENSORES PARA GARANTIR A EFICIÊNCIA DO SISTEMA DE SEGURANÇA

 Para que este componente de alarmes funcione perfeitamente, são necessários alguns cuidados na sua instalação:

  • Não instale o sensor direcionado para superfícies refletoras, fontes de luz infravermelha ou próximo a objetos que causam mudanças bruscas de temperaturas como janela, ventiladores ou aquecedores.
  • Não instale o sensor direcionado para uma escada que um animal de estimação possa ter acesso.
  • Não coloque objetos ou móveis de altura superior a 0,8m, que um animal de estimação possa escalar (por exemplo, um gato em um sofá).

 

POR SE TRATAR DE EQUIPAMENTO DE SEGURANÇA E DE AJUSTES SENSÍVEIS, DEVE SER INSTALADO POR PESSOAS TÉCNICAS ESPECIALIZADAS E EXPERIENTES.


Confira aqui a linha de sensores passivos da JFL Alarmes.

Entre em contato com a JFL Alarmes e solicite mais informações.

Como acompanhar remotamente idosos que moram sozinhos?

A evolução da estrutura familiar e o aumento da expectativa de vida resulta em  mais pessoas vivendo sozinhas quando envelhecem. A cada dia, mais e mais idosos vivem sozinhos segundo a ONU. Mas, por quê? Principalmente porque a maioria dos idosos deseja viver de forma independente, em sua própria casa, o maior tempo possível.

Ter que monitorar familiares idosos que estão vivendo sozinhos é caminhar em uma linha tênue que transita entre cuidado e invasão. Quando chegar a hora, todo filho vai querer encontrar um equilíbrio que permita a seus pais agir em um ambiente familiar e confortável, onde eles não se sintam monitorados. Afinal, eles percorreram um lindo caminho até aqui e merecem manter seu orgulho e dignidade, não é mesmo?

Como ter o cuidado extra necessário para os idosos que vivem sozinhos?

Com a diminuição da mobilidade, das capacidades cognitivas e sensoriais, bem como o enfraquecimento do corpo, o fato de viver sozinho pode tornar-se gradualmente inseguro para alguns idosos. Eles são cada vez menos capazes de garantir seu bem-estar sozinhos e é preciso identificar quando é hora de acelerar o monitoramento.

Conheça algumas soluções práticas e não invasivas:

  • Fazer uso de rótulos, notas adesivas e outras ferramentas;
  • Interruptores de luz com etiqueta;
  • Rótulo de controles remotos por aparelho e sala.
  • Luzes noturnas que se acendem quando escurece para ajudar a proteger contra quedas;
  • Chaleiras com um assobio alto;
  • Sistemas anti transbordamento para evitar inundações.

 Como a tecnologia inteligente é solução para o atendimento ao idoso?

A indústria de tecnologia de cuidados a idosos, através do desenvolvimento de soluções inteligentes dedicadas, pode ajudar os idosos a viverem sozinhos na sua própria casa o maior tempo possível. Sensores inteligentes definitivamente têm um grande papel a desempenhar quando se trata de capacitar os idosos e cuidadores.

Sensores, ativação de voz, GPS, Bluetooth, conectividade via telefones celulares, aplicativos de monitoramento de smartphones e computadores estão se tornando uma opção viável para um número crescente de pessoas.

A JFL Alarmes possui alguns equipamentos que podem auxiliar no monitoramento dos idosos, facilitando o acesso das famílias à segurança dos seus familiares.

A empresa possui uma vasta gama de sensores de presença, câmeras de segurança e centrais de monitoramento, softwares para smartphones e tablets para controle de acesso, programações de centrais de alarme e etc e uma pulseira de pânico que pode ser facilmente ativada.

Confira mais em https://jflalarmes.com.br/

Como os sensores de barreira funcionam e como podem te proteger?

Com o aumento da criminalidade nas cidades, as famílias procuram cada vez mais diferentes formas de proteção e nada melhor do que o uso das diferentes opções de produtos tecnológicos que há no mercado hoje em dia para isso.

Uma das opções que apresentam ótimos resultados na prevenção de roubos e furtos é a utilização de sensores de barreira.

Os sensores de barreira conseguem detectar a intrusão de pessoas, animais e veículos em uma determinada área de onde estiverem instalados.

Esses equipamentos possuem a capacidade de detectar movimentos através da emissão de luz infravermelha e utiliza um transmissor e um receptor de sinais que são invisíveis a olho nú.

Como funcionam?

Os sensores de barreira têm um funcionamento bem simples e podem ser instalados em diferentes lugares, como teto, paredes e portões. Quando alguém ou algo ultrapassa a linha delimitada, o sensor consegue identificar essa presença através da interrupção dos feixes de luz e assim, um alarme é imediatamente acionado.

Por ser um modelo de alarme que não chama muito a atenção, os sensores de barreira são bastante utilizados não só em residências mas também por empresas para prevenir ações criminosas.

Este equipamento pode ser encontrado em algumas variedades: sensores ativos com um feixe, dois ou múltiplos feixes de luz.

– Sensores infravermelho ativo – o transmissor emite feixes de infravermelho de um ponto e recebe esse sinal em outro ponto. É como se houvesse uma linha invisível de um ponto ao outro e quando algo atravessa esse feixe de luz , o sensor detecta a interrupção deste feixe e emite um sinal.

Sensores com um feixe – são geralmente utilizados em áreas de menor proporção.

Sensores com dois feixes são geralmente utilizados em cima de muros e portões, substituindo a cerca elétrica, tendo além da vantagem de discrição, a facilidade na instalação.

Sensores com múltiplos feixes – esses sensores são muito eficazes pois possuem uma maior precisão devido à quantidade de feixes de luz emitidos. Equivale a vários sensores instalados atuando ao mesmo tempo, podendo ser utilizados em áreas mais amplas.

Como podem te proteger?

Os sensores de barreira se destacam por fugir de modelos de equipamentos de segurança menos discretos como cercas elétricas, câmeras.

Alguns tipos de sensores de barreira podem ser interligados também ao sistema de iluminação, ativando o funcionamento das luzes ao detectar alguma atividade estranha.

Mediante todas essas informações, cabe somente à escolha do tipo de sensor mais apropriado para o seu caso, escolhendo com cuidado os lugares mais discretos e ter a tranquilidade de manter sua família e bens em maior segurança.

Consulte sempre um profissional de segurança eletrônica, ele é a pessoa mais indicada para analisar e projetar um sistema de segurança ideal para a sua residência ou empresa.

Conheça os sensores de JFL.